5 dicas de como se vestir para audiências judiciais

Se a aparência já é um fator importante para causar uma boa impressão, no âmbito profissional, é algo mais decisivo ainda, especialmente se você for uma advogada!

Estou aqui para te ajudar com a dúvida que muitas mulheres tem. Separei 5 dicas s obre como se vestir para audiências judiciais!

O que vestir em audiências judiciais?

Eu entendo que essa questão possa gerar muitas dúvidas em profissionais da área, já que a forma como nos vestimos diz muito sobre nós. Um look tem o poder de passar uma mensagem a quem está vendo.

Então, principalmente se você está no começo de carreira, transparecer seriedade e competência pelas suas roupas é uma boa ideia.

1. Use cores neutras e peças no comprimento certo

A ideia é ser elegante, mas sem chamar tanta atenção para si. Lembre-se de que o que você tem a dizer precisa ser ouvido sem que o foco do seu interlocutor vá para a sua vestimenta, portanto, prefira cores neutras e saias com comprimento um pouco acima dos joelhos.

Isso não quer dizer que você precise se vestir de forma monótona! O que vestimos tem muito a ver com a nossa autoestima e você precisa escolher um look que proporcione autoconfiança e a faça se sentir confortável. Dá para combinar cores neutras em calças sociais, blusas em seda, chemisier, saia lápis etc.

2. Cuidado com o tecido e o caimento da roupa

Tudo em excesso faz mal, não é?

Isso vale para a moda também, principalmente em uma audiência, por isso tenha em mente que roupas justas demais ou com um caimento muito frouxo não são interessantes para compor o seu look. Opte por peças bem cortadas, de bom caimento e com um tecido adequado.

Para isso, é melhor escolher tecidos naturais (algodão, linho, seda) do que os sintéticos (poliéster, nylon, lycra, elastano). As fibras naturais deixam a pele respirar mais e absorvem a transpiração sem deixar um odor desagradável.

3. Evite acessórios ou sapatos chamativos

Aqui vale a mesma dica para o seu look: não deixe que o seu visual chame mais atenção do que o que você tenha para falar. Portanto, evite joias brilhantes demais, grandes ou que façam barulho com o movimento.

Já os sapatos podem ser peep toes, scarpins ou até mesmo uma sapatilha fechada. As sandálias, especialmente estilo “anabela”, são muito informais para o ambiente, portanto, evite usá-las.

4. Tenha sempre uma peça coringa

Deixe sempre um terninho no seu guarda-roupa pois apesar de ser uma peça mais séria, você pode combiná-la com blusas mais claras e criar um equilíbrio no visual.

Uma peça ainda mais coringa do que o terninho é o blazer. Ele transforma o seu visual em um passe de mágica e pode ser combinado com blusas mais alegres ou saia lápis para alternar visuais mais elegantes ou leves.

5. Atualize o seu guarda-roupa

É bom ter peças coringas, mas cuidado para não guardá-las por tempo demais, para isso é recomendado que você mantenha o armário em dia. O tribunal não é uma passarela de moda, mas um visual antiquado ou com jeito de antigo demais não passa uma boa impressão.

Por isso, tenha sempre peças clássicas, mas fique atenta às tendências de cortes e cores, certo?

Também é importante lembrar que essas dicas não são exclusividade do início de carreira! Para saber o que a deixa confortável na hora de se vestir, é preciso conhecer o estilo dentro e fora dos tribunais.

Se você gostou deste post sobre como se vestir para audiências judiciais, confira o meu artigo sobre como encontrar o seu estilo!

Saiba como encontrar seu próprio estilo de se vestir

Compartilhe esse post

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os conteúdos do site Adelina Evangelista são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto ou imagem podem ser usados sem a autorização expressa da Adelina, mesmo citando a fonte.