O que é slow fashion? Conheça 3 grifes que apostam nessa prática

Você provavelmente já ouviu falar em fast fashion, um conceito comum no cenário da moda atual. Suas principais características são a rapidez com que novas tendências são lançadas e a pouca durabilidade das peças. Entretanto, um movimento oposto a esse tem crescido cada vez mais: o chamado slow fashion.

Se você quer saber o que esse termo significa e qual é a sua importância para a moda, continue lendo este texto. Além disso, vou apresentar alguns exemplos de grifes que estão apostando nessa prática. Não perca!

O que é slow fashion?

Esse conceito foi cunhado em 2008 pela inglesa Kate Fletcher, uma referência importante em design de moda. O termo designa um movimento contrário ao fast fashion, predominante na moda atual, caracterizado por produção em massa, globalização, tendências que mudam rapidamente, consumo excessivo e uso de mão de obra e materiais baratos.

O slow fashion traz a bandeira da moda sustentável e vem ganhando muitos adeptos. Suas principais características são a produção em pequena e média escala, a valorização da diversidade de cada região, a oferta de peças duráveis e atemporais, o incentivo ao consumo consciente, a utilização de materiais de qualidade e sobretudo os processos de produção humanizados.

O que ele representa no mundo da moda?

O slow fashion representa uma revolução no mundo da moda, pois questiona o cenário atual e levanta questões éticas importantes. Afinal, nossas escolhas em relação ao quê e a como nós consumimos geram impactos sociais e ambientais sérios.

Além desses impactos, o consumo excessivo e a moda descartável carregam a ideia de que o novo é sempre melhor e encobrem a importância de fazer durar aquilo que nós já temos. Por isso, o slow fashion busca resgatar o valor de cada roupa e mostrar que fazer compras em excesso não é um remédio para curar frustrações.

O movimento também valoriza as formas tradicionais e artesanais de produção e prioriza os recursos de cada região. Como resultado as peças são vendidas a preços que refletem a qualidade dos produtos e a remuneração justa dos trabalhadores.

Quais grifes apostam nessa prática?

Agora que você já conhece o slow fashion, conheça 3 grifes que aderiram ao movimento:

1. Magda Butrym

É uma marca polonesa de luxo, que nasceu em 2014, e já é reconhecida internacionalmente. O slow fashion se reflete na excelência do artesanato — com seus trançados, plissados e tricôs — que é a essência da marca. Os artesãos vêm de diferentes regiões da Polônia e produzem cuidadosamente cada peça, que é única.

2. Maison Ullens

Myriam Ullens é uma baronesa belga que fundou a Maison em 2009, com o objetivo de criar o guarda-roupa perfeito para a mulher contemporânea que busca elegância e estilo. A inspiração do slow fashion está na qualidade da matéria-prima e na sofisticação, no minimalismo e na atemporalidade das peças, fabricadas artesanalmente.

3. Lane Marinho

Esse é um exemplo de grife brasileira inspirada no slow fashion. Lane Marinho é uma designer, nascida em Salvador, que começou a fabricar sandálias artesanais em 2013. O trabalho é feito à mão, por ela e mais uma pequena equipe, em pequenas quantidades e de forma lenta. Cordas, conchas e pedras são matérias-primas e o resultado são peças lindas e únicas.

O slow fashion traz novas percepções sobre a nossa relação com a moda e as compras. Mesmo que você não adquira peças das grifes inspiradas no movimento, é possível aderir a ele em atitudes simples: consumindo de forma mais consciente e priorizando peças atemporais e com qualidade, por exemplo.

Se você gostou deste post, acompanhe-me nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades! Estou no Facebook, no Instagram, no Twitter, no YouTube e no Pinterest!

Compartilhe esse post

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os conteúdos do site Adelina Evangelista são protegidos por copyright, o que significa que nenhum texto ou imagem podem ser usados sem a autorização expressa da Adelina, mesmo citando a fonte.